mensagem
Dias difíceis?


Atualmente, na maioria das vezes que conversamos com alguém ouvimos dizer que os dias são muito difíceis: uns reclamam da segurança, outros da política, do desemprego, e principalmente da falta de amor entre a humanidade. Muitos falam que as coisas vêm se agravando cada vez mais, e com tristeza chego a questionar se estes problemas realmente existem, ou se nós, com o nosso pessimismo, criamos situações que nos levam a acreditar que estas coisas realmente estejam acontecendo.

Precisamos urgentemente atentar para o que JESUS nos diz em Marcos 4,35-41, episódio em que os discípulos se encontravam no meio de uma forte tempestade, e Ele dormia calmamente na popa do barco. Quando foi acordado, JESUS lhes disse “Por que sois tão tímidos? Ainda não tendes fé?” Será que é pela mesma razão que hoje, diante destas situações, estamos sempre acordando JESUS? Ele veio ao mundo, para que tivéssemos vida e vida com abundância; isso inclui também: imunidade contra todas essas coisas que nos amedrontam, e nos fazem muitas vezes vacilar na fé.

Não podemos esquecer, em hipótese alguma, que JESUS, em um de seus ensinamentos nos advertiu de que no mundo teríamos aflições, mas que tivéssemos bom ânimo! Por isso não podemos desanimar, imaginando que JESUS já não faz parte deste mundo, pois Ele nos disse que iria para o Pai, e não nos deixaria órfãos, mandando-nos o consolador. Ele está em todo momento conosco, ou melhor, está em nós, pois somos templos do Espírito Santo! Sendo assim, não podemos deixar que tudo isso venha nos bombardear, deixando-nos tristes, apáticos à vida e a tudo de bom que ela nos apresenta. Isso só é possível através do conforto e da visão que o Espírito Santo nos dá. Gostaria de dar um exemplo que foi de vital importância para mim, pois me ajudou a ter uma visão melhor da vida tirando dela as partes mais importantes.

QUEM PROCURA ACHA
Imaginemos uma bela floresta!!

Se soltarmos um urubu e um beija-flor, para que voem juntos por sobre a mesma floresta, com mata densa, que procurariam eles? O urubu certamente procuraria algum cadáver ou algum animal doente. O beija-flor, por sua vez, procuraria uma flor, diante da qual realizaria seu espetáculo, que é único na natureza: pararia no ar batendo velozmente suas asas, e voaria para frente e para trás, enquanto se alimentaria do néctar da flor com seu bico fino e delicado. Ambos estão na mesma mata, no entanto, encontram coisas tão opostas, porque procuram isso.

O mesmo ocorre conosco, especialmente no nosso relacionamento com as pessoas. Todas têm defeitos, todas têm suas peculiaridades, mas será que é mesmo preciso procurar apenas por isso? Há pessoas que parecem alegrar-se em descobrir e comentar defeitos e erros dos outros. Há necessidade disso? Não haverá belas flores nesta mata? Ou será que queremos apenas enxergar os cadáveres?

Especialmente quando olhamos para os problemas que nos amedrontam e temos que acordar JESUS em busca de socorro, olhemos para tudo e para todos com olhos de beija-flor...
José de Jesus Gonçalves
é Postulante da Diocese Anglicana de São Paulo


Copyright IEAB - Diocese Anglicana de São Paulo - 2001/2007 Site by Virtually    Hosting by Microeng