mensagem
Vós sois a luz do mundo...


Estamos vivendo num momento mundial de guerras, imperialismo de países ricos sobre os países pobres; no nosso país, em especial, injustiça social, corrupção; na nossa igreja, em algumas discussões, aquilo de que divergimos é motivo para nos separarmos (na visão de alguns). Em todo esse panorama cada vez mais recebemos este convite de Jesus que se torna um apelo para aqueles que O escolhem para seguir. Um apelo por justiça, paz, ética, solidariedade, diálogo, inclusão. E como ser luz?

Ao olharmos para um contexto menor, nos deparamos com nosso trabalho, nossa comunidade, nossa família, nossas relações afetivas, nossa relação com o nosso corpo, com nossas escolhas. Acredito que esse apelo também se faz presente. E deparamos com a mesma pergunta: como ser luz? Como posso, nas minhas atitudes, expressar esta minha escolha de ser seguidor de Jesus? Não tenho a pretensão de, com este texto, responder essa pergunta, pois busco, em minha vida, respondê-la com acertos e erros, também. Porém quero abrir uma reflexão sobre um aspecto importante que nos impede de respondê-la segundo nossa vontade. Falo da nossa SOMBRA.

Segundo a Psicologia Analítica de Jung, “sombra” é tudo aquilo que foi reprimido de negativo, nossas limitações pessoais, nossos traumas, também potenciais que não foram aceitos no nosso processo de desenvolvimento. E ela se manifesta em nós, criando dificuldades em nossa forma de viver plenamente e em nossa resposta aos apelos de Jesus. Na maioria das vezes, essa manifestação acontece sem percebermos; achamos que o problema está no outro, ou ainda que não somos capazes de agir da maneira que avaliamos como melhor e então vivemos inconscientes de nossos medos, inseguranças, máscaras, invejas, jogos, carências, vingança, ciúmes, competições, dogmatismo e rigidez que nos impedem de vermos outras possibilidades. Acredito que refletir sobre esse aspecto possa iluminar nossa busca de ser luz.

Termino convidando a cada um a fazer essa viagem para o interior, aproximando-se da sua própria sombra, perceber quando ela está atuando, cuidar de transformá-la. Sei que, em alguns momentos, é dolorosa essa experiência; nesses momentos, é preciso muita oração, pedindo a Deus luz e força nesta tarefa, e, se necessário, procurar uma ajuda profissional. E sei também que, nesta busca, vamos nos deparar com nossa luz interior, aquilo que é mais sagrado em nós, pois somos imagem e semelhança de Deus. Fica aí o convite. Vós sois a luz do mundo...
Fábio de Souza Abagabir
Psicoterapeuta holístico e estudante do IAET


Copyright IEAB - Diocese Anglicana de São Paulo - 2001/2007 Site by Virtually    Hosting by Microeng